Marcopolo investe C$116,4 mi em canadense New Flyer

28 01 2013

Além de subscrever ações emitidas pela produtora de ônibus canadense, a Marcopolo fechou um acordo de cooperação com a empresa
Ônibus da Marcopolo: produtos da empresa poderão entrar nos EUA e no Canadá por meio da parceria com a New Flyer
Rio de Janeiro – A Marcopolo assinou contrato para investir 116,4 milhões de dólares canadenses na produtora de ônibus urbanos New Flyer, informou a fabricante de carroceria de ônibus em comunicado nesta quarta-feira.
A empresa brasileira vai subscrever 11,1 milhões de novas ações ordinárias a serem emitidas pela New Flyer, equivalentes a 20 por cento do capital da empresa canadense, com sede em Winnipeg e listada da Bolsa de Valores de Toronto. O preço por ação será de 10,5 dólares canadenses.
Na primeira fase da operação, a Marcopolo subscreverá quase 5 milhões de ações da empresa a serem emitidas até 1o de março, no total de 51,7 milhões de dólares canadenses, e o restante será subscrito em uma única parcela em até 12 meses.
A New Flyer tem mais de 2,2 mil funcionários e fechou 2011 com receita líquida de 926 milhões de dólares, e produção de 1,8 mil unidades no ano.
“As empresas assinaram também um memorando de entendimento para explorar oportunidades de cooperação em questões de engenharia, técnicas, de compra e operacionais, com foco na redução dos custos de fabricação e pós-venda de peças da New Flyer”, segundo a nota.
Também será avaliada entre elas a entrada dos produtos e tecnologia da Marcopolo no Canadá e nos EUA por meio da New Flyer, assim como a expansão da empresa canadense para outros mercados.
“O investimento está alinhado com a estratégia de crescimento da Marcopolo e marca a entrada definitiva da Companhia nos mercados dos Estados Unidos e Canadá”, complementou o documento.
Fonte: http://exame.abril.com.br/

Imagem

Anúncios




Prefeitura e STTP entregam novos ônibus aos usuários de transporte coletivo de Campina

28 01 2013
A Prefeitura de Campina Grande, através da STTP, estará entregando a população usuária do sistema de transporte público de passageiros três novos ônibus, modelo 1724, que passarão a circular no sistema de transporte coletivo urbano da cidade, a partir da próxima segunda-feira, 28, numa parceria com o SITRANS.
De acordo com a gerencia de transportes, a apresentação e entrega dos novos veículos ocorrerá nesta sexta-feira, 25, a partir das 9:00hs, no prédio da STTP.
A incorporação destes novos veículos, da empresa Cabral, faz parte do programa de renovação da frota de transportes coletivos para 2013, visando facilitar a mobilidade dos passageiros. E, em atendimento a solicitação da STTP, a empresa estará operando estes carros na linha 077 – Cinza, totalizando 7 ônibus na rota daquele Conjunto Ana Amélia Vilar.
Fonte: Da Redação com Ascom
Imagem




Expresso Mato Grosso apresenta novos ônibus em Aquidauana

28 01 2013
Foi realizada na manhã da ultima quinta feira (17), no pátio da rodoviária de Aquidauana, a cerimônia de entrega de novos ônibus para reforçar a frota da empresa de transporte intermunicipal “Expresso Mato Grosso”.
Com um investimento de mais de R$ 3 milhões, o gerente geral da empresa, Nelson Conde, entregou sete novos e modernos ônibus que farão a rota Aquidauana / Campo Grande.
Segundo o gerente, os ônibus garantem o conforto necessário para que os aquidauanenses façam uma boa viagem sempre que forem a Campo Grande utilizando veículos da empresa.
A Expresso Mato Grosso é a empresa pioneira no setor de transporte de pessoas, atendendo os estado desde 1975.
Com informações Agecom
Imagem




Empresas poderão administrar 32 terminais de ônibus

28 01 2013
Projeto deve ser a 1ª PPP da gestão Fernando Haddad; plano é começar por Parque D. Pedro, Bandeiras, Grajaú e Campo Limpo
Diego Zanchetta, Bruno Ribeiro e Caio do Valle
SÃO PAULO – A Secretaria Municipal dos Transportes finaliza um projeto de lei que autoriza a concessão dos 32 terminais de ônibus da Prefeitura à iniciativa privada. Os primeiros que devem ser licitados são os do Parque D. Pedro e das Bandeiras, no centro, e do Grajaú e do Campo Limpo, na zona sul. Em contrapartida, os futuros concessionários vão ter de reformar e ampliar a infraestrutura e a segurança desses pontos.
A legislação para tentar remodelar os terminais paulistanos deve ser a Primeira Parceria Público-Privada (PPP) da gestão do Fernando Haddad (PT). A ideia trabalhada pelo secretário de Transportes, Jilmar Tatto, em conjunto com técnicos da Secretaria Municipal de Governo, é que os primeiros quatro terminais tenham características semelhantes às das Estações Tatuapé e Itaquera do Metrô, na zona leste, e Santa Cruz, na zona sul.
Anexos às paradas metroviárias, foram erguidos shoppings centers nas últimas décadas. Na Estação Tucuruvi, na zona norte, outro centro comercial também já está em fase de obras.
A São Paulo Transporte (SPTrans) diz deter 28 terminais atualmente – outra estrutura, a de São Mateus, na zona leste, é gerenciada em parceria com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), do governo do Estado.
Novos terminais também devem ser beneficiados. Um deles poderá ser o de Pinheiros, na zona oeste, inaugurado em dezembro, mas que segue fechado para operações. Existem outros cujas obras nem sequer começaram, como o de Vila Sônia, na zona oeste, que está atrasado segundo o cronograma oficial.
Hoje, a maioria dos terminais da SPTrans é administrada pela Socicam, por meio de contrato. A empresa também gerencia terminais rodoviários, como o Tietê, de propriedade do Metrô.
O projeto de lei com a concessão dos terminais deve chegar à Câmara Municipal até o fim de fevereiro, logo após a apresentação da proposta que acaba com a taxa da inspeção veicular. A equipe das pastas de Transportes e de Governo estudam uma maneira de tornar a PPP aplicável também para a construção de outros terminais previstos pelo governo e que estão atrasados. Nesse caso, o concessionário seria responsável pela execução da obra.
Câmara. 
Haddad deu sinal verde para o projeto, que precisa ser aprovado por uma maioria dupla na Câmara, ou 37 votos dos 55 vereadores, por se tratar de concessão pública. Hoje, porém, o prefeito já tem uma base governista formada por 42 parlamentares, o que deve facilitar a aprovação do texto. O governo acredita que o potencial econômico desses terminais ainda é pouco explorado e deve atrair investidores de todo o Brasil.
O arquiteto e consultor de trânsito e transportes Flamínio Fichmann ressalta, porém, que no País ainda não há exemplos de sucesso na exploração da chamada “receita não operacional” – recursos que as operadoras de transporte obtêm com a exploração de publicidade e comércio.
Outro ponto destacado pelo especialista é que os terminais de ônibus têm um enorme potencial de inserção social, principalmente nos bairros mais afastados. “Os terminais poderiam não ter apenas comércio. Poderiam ter creches, postos de saúde, bibliotecas”, afirma Fichmann, destacando que, alguns anos atrás, chegou-se até a fazer um estudo para a criação de um cinema para deficientes auditivos no Terminal Santo Amaro, na zona sul.
Calçadas. 
Outra proposta que precisa ser finalizada em 15 dias, segundo determinação do prefeito feita à pasta de Coordenação das Subprefeituras, é a que muda a forma de multa aos proprietários de calçadas. Hoje, o dono de um imóvel pode ser multado sem notificação se sua calçada não estiver bem conservada, conforme regra implementada há um ano. O novo projeto criará uma notificação para o dono arrumar a calçada em até 30 dias – se ele não cumprir o prazo, a infração será aplicada.
Imagem