Volvo vende 688 chassis de ônibus para a Colômbia

27 10 2012

Novas unidades fazem parte da terceira fase de expansão do BRT Transmilenio, e circularão na capital do país, Bogotá

A Volvo Bus Latin America acaba de fechar um negócio estimado em US$ 110 milhões (aproximadamente R$ 195,3 milhões) com a Colômbia. O pedido de 688 chassis de ônibus para a terceira fase de expansão do Transmilenio é o maior contrato de venda da marca no país. Esse é o mais avançado BRT (Bus Rapid Transit) do continente.

Dos quatro troncais da terceira fase do Transmilenio, três operam exclusivamente com ônibus Volvo, o que corresponde a 75% do total. Os eixos troncais são canaletas exclusivas para linhas expressas dos ônibus de grande capacidade de transporte (articulados e biarticulados), que cruzam a cidade em vários sentidos. O Transmilenio tem mais de 100 estações de ônibus e transportada diariamente 1,6 milhão de passageiros entre 266 bairros.

O pedido engloba 145 veículos B340M articulados (48 unidades) e biarticulados (97 unidades). O restante, modelo B290RLE, rodará em linhas convencionais e servirão como alimentadores dos ônibus articulados e biarticulados. Esses são os primeiros ônibus com entrada baixa a serem utilizados em Bogotá que permitem acesso de cadeirantes ao transporte público.  

Outra novidade presente nas novas unidades é o sistema de gestão de frotas, que proporciona aos operadores o acesso a todos os dados dos ônibus, como tempo de percurso, consumo de combustível e até da emissão de poluentes.

“Retirar gradativamente essa enorme frota de veículos de pequeno porte diminui o número de acidentes de trânsito e contribui significativamente para a melhoria da qualidade do ar”, afirma Euclides Castro, gerente de ônibus urbanos da Volvo Bus Latin America.

Fonte: Transporta Brasil

Imagem

Foto: Volvo





Volvo vende 240 ônibus em caravana promocional

27 10 2012

Ação percorreu 580 cidades para apresentar as novidades do portfolio de produtos e serviços da marca

A Volvo vendeu 240 ônibus durante a caravana que percorreu diversos Estados para apresentar a nova linha de chassis e as soluções de transporte da marca.

“Tomamos a iniciativa de ir até a casa dos operadores de transporte e tivemos a oportunidade de mostrar a eles todos os nossos produtos e soluções de transporte urbano e rodoviário. Os resultados superaram as nossas expectativas”, afirma Luis Carlos Pimenta, presidente da Volvo Bus Latin America.

A Caravana de Soluções Volvo, realizada em parceria com a rede de concessionários da marca, percorreu 257 mil quilômetros, passou por mais de 580 cidades e parou em 58, atingindo todas as regiões do país.

Dividida em duas, uma com roteiro Sul e outra com destino Norte, cada caravana uma contou com um comboio de seis ônibus completos e dois chassis, além de profissionais da Volvo disponíveis para fornecer informações e tirar dúvidas dos operadores do transporte.

“O diálogo próximo com os empresários e pessoas que atuam no setor durante a caravana foi muito rico.”, destaca Pimenta.

Em sua linha de rodoviários, a Volvo disponibiliza ao mercado chassis pesados e semipesados com uma variada gama de potências, para diferentes tipos de aplicação.

Os chassis ganharam um novo sistema de suspensão, que de acordo com a montadora, oferece mais estabilidade e conforto ao veículo, e possuem com potências que variam de 340cv a 450cv. Os novos modelos podem ser equipados também com o Alcolock, que funciona como um bafômetro.

A linha de chassis urbanos recebeu uma nova caixa de transmissão automática, a Ecolife, e um novo sistema de controle de aceleração.

Além da nova linha, a Volvo apresentou na caravana as ofertas de soluções de transporte como programas de manutenção, sistemas de gerenciamento de frota e tráfego, soluções financeiras e o VOAR (Volvo Atendimento Rápido).

Fonte: Transporta Brasil

Imagem

Foto: Volvo





Acidente entre dois ônibus deixa feridos no Centro do Rio

26 10 2012

Um dos veículos tombou na esquina da Rua da Carioca e Avenida Passos.
Segundo o Corpo de Bombeiros, 30 pessoas ficaram feridas.

 

Um ônibus tombou na Praça Tiradentes, na esquina da Rua da Carioca e Avenida Passos, no Centro do Rio, depois de colidir com outro coletivo por volta das 6h da manhã desta quinta-feira (25). Segundo a assessoria do Corpo de Bombeiros, 30 pessoas ficaram feridas e foram levadas para unidades de saúde.

O ônibus que virou é da linha 361, da viação Pégasus, e faz o trajeto Recreio-Carioca. De acordo com o motorista do veículo que tombou, José Carlos Gomes, o condutor do outro coletivo, da linha 125 – trajeto Centro-General Osório, veio em alta velocidade. “Eu vim normal, estava eu, o trocador e cerca de 10 passageiros quando o sinal abriu. Ele veio voado”, contou o motorista.

De acordo com o vigia Lauro Paulo Sodré, o veículo estava em alta velocidade na hora do acidente. “O motorista do ônibus que tombou não teve culpa, o sinal estava aberto para ele. O outro veio muito rápido, a mais de 80 km/h e acabou causando o acidente”, contou o vigia, que presenciou o momento da colisão.

O ônibus também bateu e quebrou o vidro do Hotel Ibis Budget. O gari Altamir Rodrigues, que estava trabalhando na rua, também ficou ferido. Ele limpava a frente do Hotel Ibis Budget e foi ferido por um pedaço de vidro. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros.

Segundo o Centro de Operações Rio, equipes da CET-Rio foram acionadas e controlavam o trânsito por volta das 6h30. Em função do acidente, a Rua da Carioca chegou a ficar interditada ao tráfego mais de uma hora. O ônibus foi desvirado às 7h45 e, por volta das 8h, o acesso à Praça Tiradentes pela Rua da Carioca foi liberado.

Outras vias da região também ficaram temporariamente bloqueadas para operação de retirada dos veículos, como Rua da Assembleia, entre a Avenida Rio Branco e a Rua da Carioca, a Avenida Nilo Peçanha, entre a Avenida Rio Branco e Rua da Carioca, e a Rua da Carioca, em toda a sua extensão. Por volta das 8h10 o trânsito era intenso na região e operadores da CET-Rio e da Guarda Municipal seguiam orientando os motoristas.

As vítimas foram levadas para os hospitais Souza Aguiar, no Centro, e Andaraí, na Zona Norte. Às 8h20, a Secretaria Municipal de Saúde informou que não havia feridos em estado grave.

Fonte: G1

Imagem

Foto: Renata Soares/G1





Ônibus movido a gás natural passa por teste em BH

25 10 2012

Veículo passará por seis meses de avaliação.
Fonte: Rádio Itatiaia / PBH
24 de Outubro de 2012 por Matheus de Oliveira / Editoria de Web

O primeiro ônibus movido 100% a gás natural, o Eurorides, vai começar a circular pelas ruas de Belo Horizonte e Região Metropolitana na próxima segunda-feira (29). O veículo está em fase de experimentação e será responsável pela linha 1280, que realiza o itinerário Lindéia – Via Cidade Industrial – Belo Horizonte.

O modelo é mais silencioso (apresenta um nível de ruído de seis decibéis abaixo do nível emitido pelo mesmo modelo de motores a diesel), reduz em 96% a emissão de compostos poluentes e em 22% a emissão de gás carbônico. A expectativa de redução do custo operacional é de 10 a 30%.

Com capacidade para levar 42 passageiros sentados e 35 em pé, o veículo será testado durante seis meses. Caso os resultados sejam satisfatórios, as concessionários de transporte público irão adaptar, aos poucos, o sistema à frota da cidade.

O ônibus 
O Eurorider é um ônibus urbano, 4×2, movido a Gás Natural Veicular (GNV), com motor FPT Cursor 8, câmbio automático e suspensão pneumática, desenvolvido na Europa. Cerca de 3 mil ônibus já circulam nas cidades europeias e a montadora já comercializou mais de 12 mil unidades em diversos países.

Imagem
Foto: André Rodrigues (TCRJ)




Conheça o chassi MB OF-1721/59 Bluetec 5 (Euro V)

25 10 2012

Informações do site ViaCircular.com

Uso: Ônibus urbano e intermunicipal 
Fabricação: A partir de 2012
Baumúster: Ainda não disponível

Modelo: Mercedes Benz OM-924 LA – Proconve P-7 (Euro V)
Tipo: 4 cilindros verticais em linha, turbocooler
Potência máxima, conforme NBR ISO 1585: 153 kW (208cv) a 2200 rpm
Torque máximo, conforme NBR ISO 1585: 780 Nm (79,6 mkgf) de 1200 a 1600 rpm
Cilindrada total: 4.800 cm³
Consumo específico: 195 g/kWh a 1200 rpm
Filtro de óleo – tipo: filtragem total, com elemento de papel
Filtro de ar – tipo: seco, com elemento de papel
Sistema de arrefecimento: por circulação de água, com termostato
Unidade Injetora
Modelo: DTC (Diesel Technology Company)
Tipo: injetores individuais com controle eletrônico
Sistema de Injeção: direta, com gerenciamento eletrônico
Compressor
Acionamento: por engrenagens
Fluxo de trabalho: 590 l/min a 10 bar com 2600 rpm
Sistema de pós-tratamento dos gases do motor
Redução catalítica seletiva de NOx (SCR): sim

Modelo: MB G 85-6
Acionamento: por meio de alavanca
Marchas sincronizadas: 6
Relação de transmissão: i=6,70/3,81/2,29/1,48/1,00/0,73/marcha a ré: 6,29

Modelo: MF 395
Tipo: monodisco – seco
Acionamento: hidropneumático

Modelo: ZF 8097
Tipo: hidráulica
Relação de redução: i(máx)=20,6:1

Tensão nominal
Capaciade: 24 V
Alternador
Capaciade: 28 V / 80 A
Bateria
Capaciade / tensão: 170 Ah / 2 x 12 V

Eixo Dianteiro
Modelo: MB VL3/8 D-6,5
Tipo: punho
Eixo Traseiro
Modelo: MB HL4/060 D-10
Tipo: carcaça central com tubos de aço imprensados
Redução: i=5,857 (41:7)

Suspensão Dianteira
Tipo: feixe de molas semielípticas
Amortecedores: telescópicos de dupla ação
Barra estabilizadora : sim
Suspensão Traseira
Tipo: feixe de molas semielípticas
Amortecedores: telescópicos de dupla ação
Barra estabilizadora : sim

Aros das rodas: 7.50 – 22,5
Pneumáticos: 275/80 R 22,5 (radiais, sem câmara)
Estepe (roda e pneu): opcional (versão urbana) / série (versão rodoviária)

Tipo: escada, rebitado
Material empregado: LNE 38

Freio de serviço
Sistema: a ar comprimido de dois circuitos
Tipo: tambor nas rodas dianteiras e traseiras
Área de frenagem total: 5.437 cm²
Regulador automático de freio: sim
Freio de estacionamento
Tipo: câmara de mola acumuladora, acionada pneumaticamente, com atuação nas rodas traseiras
Freio motor
Tipo: borboleta no coletor de escapamento (convencional)
Acionamento: eletropneumático, com válvula no assoalho
Tipo: Top Brake (válvula localizada no cabeçote)
Acionamento: eletropneumático, válvula no assoalho conjugada com freio motor convencional

Pesos admissíveis / Valores indicados
Peso Bruto Total (PBT)
Eixo dianteiro: 6500
Eixo traseiro: 10500
Total: 17000
Pesos admissíveis / Valores autorizados
Peso Bruto Total (PBT)
Eixo dianteiro: 6000
Eixo traseiro: 10000
Total: 16000

Tanque de combustível/plástico: 300
Óleo no cárter, máx./min.: 15/12
Caixa de mudanças: 9
Carcaça do diferencial/eixo traseiro: 10
Direção hidráulica: 3,5
Sistema de arrefecimento: 28
Tanque de Arla 32: 35

Distância entre-eixos: 5950
Comprimento total: 11769
Largura: 2442
Bitola – eixo dianteiro: 1961
Bitola – eixo traseiro: 1842
Balanço dianteiro: 2275
Balanço traseiro: 3544
Círculo de viragem de referência do veículo encarroçado: 24.400

Caixa de mudanças: MB G 85-6
Eixo traseiro: MB HL4/060 D-10
Redução: i=5,857 (41:7)
Pneus: 275/80 R 22,5
Velocidade máxima (km/h): 111
Capacidade máxima de subida com 16.000kg (%) (veículo em movimento): 37

– Eixo traseiro HL5/60 DZ-10 (dupla velocidade)
– Limitador de velocidade a 60km/h
– Limitador de velocidade a 90km/h
– Redução do eixo traseiro (dupla velocidade) i=4,875 (39:8)
– Escapamento com saída lateral para versão rodoviária
– Conjunto de rodas e pneus reservas para versão rodoviária
– Banco do motorista estofado, com deslocamento lateral

Imagem

Foto: André Rodrigues (TCRJ)





Número de mortos chega a 14 após acidente de ônibus, diz Viação 1001

25 10 2012

Hospital das Clínicas de Teresópolis confirmou três mortos nesta terça (23).
Dez estão no IML do Rio; outra morte ocorreu em hospital de Saracuruna.

 

A Viação 1001 informou na tarde desta terça-feira (23) que chega a 14 o número de mortos em consequência do grave acidente com o ônibus da empresa na altura do km 102 na Rodovia Rio-Teresópolis (BR-116), na altura de Guapimirim, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, na segunda-feira (22).

(Correção: Por volta das 11h, a Viação 1001 havia informado que o número de mortos chegava a 15, incluindo uma pessoa que estava internada no Hospital Miguel Couto, no Rio. Mas, por volta das 12h30, corrigiu a informação para 14 mortos.)

 

Testemunhas contaram que o motorista do ônibus que saiu da cidade de Itaperuna, no Noroeste Fluminense do Rio, às 9h de segunda-feira (22), perdeu a direção do veículo e se chocou com um carro na contramão antes de cair na ribanceira.

Segundo a 1001, o ônibus saiu de Itaperuna com 29 pessoas a bordo, mas, no momento do acidente, por volta de 14h30, 30 pessoas estavam no coletivo, já que houve paradas em outras cidades, como Miracema, Santo Antonio de Pádua, Pirapetinga e Além Paraíba. O destino do veículo era o Rio de Janeiro, com chegada prevista para 16h.

Doze horas depois do acidente, técnicos ainda trabalhavam na Rodovia Rio-Teresópolis para retirar o ônibus da ribanceira. O ônibus só foi retirado no final da madrugada desta terça-feira. A operação cuidadosa, que envolveu cerca de 40 pessoas, começou depois da remoção do último corpo, o do motorista Eduardo Fernandes, de 44 anos.

Confira a lista divulgada com os nomes dos 13 mortos identificados:
Charles Estelitta André
Edes Moraes da Silva
Eduardo Fernandes
Guiomar Pereira da Silva
Ilma da Silva Florido
José Neves Mota
José Severino da Silva
Jussara Nelon Magacho
Lúcia Florido Turques da Silva
Márcio Luis Ramos
Maria Aparecida Mota Neves
Osvaldo Wilson Dias da Costa
Uschi Kern
Zenalda Pereira Frades

 

A Viação 1001 informou também que 15 pessoas continuavam internadas por volta das 12h30 desta terça. Das vítimas, 13 estavam no Hospital das Clínicas de Teresópolis. Outras duas estão internadas no Hospital Miguel Couto. Já o passageiro que foi encaminhado para o Hospital de Guapimirimrecebeu alta.

Falha no freio 
Peritos de Polícia Civil investigam se o ônibus, que caiu em uma ribanceira, teria perdido o freio antes do acidente. A falha técnica também é uma das hipóteses da causa do acidente, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). A outra possibilidade é a de o motorista, que também morreu, ter passado mal.

A linha de investigação da PRF é baseada em relatos de testemunhas, que viram o ônibus, da empresa Auto Viação 1001, descer a serra na contramão, com o alerta ligado.

 

Segundo peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli, o tacógrafo, que registra a velocidade do ônibus, marcava 80 km/h. A velocidade máxima permitida é de 60 km/h. A polícia também afirmou que não há marcas de freio.

O ônibus passará por uma perícia mais aprofundada. O caso foi registrado na 67ª DP (Guapimirim).

A 1001 informou que faz manutenção constante nos veículos e que vai investigar se o veículo acidentado havia tido o freio inspecionado recentemente. A companhia disponibilizou para os parentes das vítimas os telefones 0800 941 3334, (11) 5060-5610 e (11) 5069-1177) para informações sobre o estado de saúde dos internados.

Fonte: G1

ImagemFoto: AUTOR DESCONHECIDO

 





O que é ARLA 32?

24 10 2012

ARLA 32 é uma solução de uréia de alta qualidade e pureza. Um produto muito fácil de usar.

ARLA 32 é um reagente que é usado juntamente com o sistema deRedução Catalítica Seletiva (SCR) para reduzir quimicamente as emissões de óxidos de nitrogênio presentes nos gases de escape dos veículos a diesel. O ARLA 32 é uma solução a 32,5% de uréia de alta pureza em água desmineralizada que é transparente, não tóxica e de manuseio seguro. Ele não é explosivo, nem inflamável nem danoso ao meio ambiente. O ARLA 32 é classificado como produto de categoria de risco mínimo no transporte de fluidos. Não é um combustível, nem um aditivo de combustível e precisa ser utilizado em um tanque específico em seu veículo diesel SCR. O abastecimento é feito de forma semelhante ao diesel. Se você derramar ARLA 32 em suas mãos, basta lavá-las com água.

Quanto ARLA 32 é necessário?

O consumo médio de ARLA 32 é de 5% do consumo de diesel, de maneira que será necessário abastecer muito menos ARLA 32 do que diesel. Serão utilizados cerca de 5 litros de ARLA 32 para cada 100 litros de diesel.

Como se deve guardar ARLA 32?

O ARLA 32 pode ser guardado por um ano se for feito da maneira correta, isto é, protegido da incidência direta da luz solar. Ele necessita ser protegido de temperaturas muito altas ou muito baixas. Deve ser armazenado em uma embalagem selada em um local bem ventilado.

Por que devo escolher SCR + ARLA 32 ao invés de outras tecnologias?

O ARLA 32 juntamente com o SCR oferece uma significativa redução no consumo de combustível e conseqüentemente das emissões de CO2 se comparado as tecnologias concorrentes. Todos os maiores fabricantes de caminhões e ônibus no Brasil irão oferecer a partir de janeiro de 2012, modelos equipados com SCR.

Por que a qualidade do ARLA 32 tem importância?

Várias ações podem afetar a qualidade do ARLA 32. Para prevenir uma contaminação, é imperativo que materiais estranhos não entrem em contato com a solução. Utilizar o ARLA 32 contaminado pode levar a uma dispendiosa substituição do catalisador. Comprar Air1 é a garantia de ter a correta especificação exigida para a utilização com a tecnologia SCR.

Fonte: Brasil Air1

Imagem

Foto: Divulgação